sexta-feira, julho 21, 2006

Fim aos Bombardeamentos

FCT = Fuga de Cérebros com Talento

Governo português promove a fuga de cérebros de Portugal.
Ser bolseiro de investigação tornou-se hoje uma profissão altamente qualificada e a baixo custo. Durante anos, um bolseiro recebia uma bolsa para desenvolver investigação associada à obtenção de um grau académico. Era-se bolseiro por um período definido, geralmente curto, depois entrava-se no mercado de trabalho. Hoje, porque não se quer abrir vagas nos quadros das Universidades, Laboratórios do Estado e demais centros de investigação, porque o tecido empresarial nacional continua a não absorver trabalhadores científicos qualificados, ser bolseiro tornou-se uma profissão, um modo de vida precário que se tende a prolongar no tempo.
Isto representa a precarização do trabalho científico. Um bolseiro trabalha, mas não tem o estatuto jurídico de um trabalhador. Não tem direito a um regime de segurança social pleno ou férias. Um bolseiro não paga IRS. É como se fosse um trabalhador ilegal, sob a falsa capa do eterno estudante. Os bolseiros são hoje responsáveis por uma parte substancial da investigação científica feita em Portugal, representando mais de um terço da força de trabalho científica. Muitos têm o mestrado, o doutoramento, 3-6 anos de pós-doutoramento, e continuam a não ser reconhecidos como aquilo que, de facto, são: trabalhadores. Recebem por vezes muito menos que colegas que integram o quadro das instituições, apesar de terem as mesmas ou mais habilitações. Com isto, consegue-se mão-de-obra qualificada, a baixíssimo custo.
Calcula-se que mais de 20% dos nossos quadros qualificados abandonam o País, para procurarem no estrangeiro um emprego com salário digno, compatível com as suas qualificações, para poderem antever um futuro, e não sentirem a instabilidade da vida de bolseiro. Exigimos que se cumpra a recomendação da Carta Europeia do Investigador: que sejam oferecidas condições dignas e atractivas aos investigadores de forma a criar uma Europa competitiva em Investigação e Desenvolvimento. Manter a condição de bolseiro é destruir mão-de-obra altamente qualificada. É desperdiçar o esforço de investimento feito na formação avançada dos recursos humanos do país! A qualificação superior de um investigador doutorado representa um investimento público de mais de 50 mil euros. Não criar condições para reter estes quadros representa um prejuízo para o país. As medidas recentemente anunciadas são claramente insuficientes e estão longe de poder vir a resolver este problema. Entretanto, anuncia-se igualmente um aumento da atribuição de mais bolsas...
É preciso dizer basta! Para investir em Ciência há que investir nos seus recursos humanos. Mais bolsas não é a solução. Exigimos a criação de emprego científico.

JUNTA-TE AO NOSSO PROTESTO. FUGA DE CÉREBROS NO AEROPORTO DE LISBOA. 24 DE JULHO ÀS 18 HORAS. JUNTO ÀS PARTIDAS
NÃO FALTES.

segunda-feira, julho 17, 2006

40º

Com tanto calor resta pouca vontade para a escrita.

segunda-feira, julho 10, 2006

Post incendiário


Ontem, o pirómano orgulhava-se da sua bandeira na janela.
Hoje, começa uma nova época de trabalhos.

Do Futebol ao Fogo

Portugal prepara-se para mudar de tema. Com o final do Campeonato do Mundo que encheu o país de brio prepara-se a época dos incêndios que encherá o país de cinzas. Este processo começa já hoje.
Confesso que hoje ao percorrer os olhos por uma banca de jornais, e com o olhar ainda pouco avisado, li o título: "Figo mata seis bonbeiros". Temendo o pior, que o capitão da selecção nacional em desespero pela sua saída da selecção tivesse feito uma loucura, lá parei e constatei que era "Fogo" e não "Figo".

domingo, julho 09, 2006

O meu onze do Mundial (*)

1 Buffon (Itália)
2 Miguel (Portugal)
3 Ricardo Carvalho (Portugal)
4 Thuram (França)
5 Lahm (Alemanha)
6 Vieira (França)
7 Figo (Portugal)
8 Cristiano Ronaldo (Portugal)
9 Henry (França)
10 Zidane (França)
11 Klose (Alemanha)

(*) este post se fosse escrito amanhã teria, com certeza, escolhas diferentes. Só Zidane me parece inquestionável.

Este blog promete:

Sobaba

O link do dia:

Blgo do José Fanha

Novo vídeo:

É para votar:

Equipa mais empolgante
Bola de Ouro

France - Italia

"Se a França se qualificar para a final, o preço por um reclame publicitário de trinta segundos na televisão atingirá 250 000 euros (o que representa, em França, 15 anos de salário de um beneficiário do rendimento mínimo). E a Federação Internacional de Futebol (FIFA) nunca receberá menos de 1172 milhões de euros, apenas pelos direitos televisivos e pelos patrocínios do Campeonato do Mundo da Alemanha. Estima-se também que o total de investimentos publicitários ligados a esta competição ultrapasse os 3 mil milhões de euros."

Ignacio Ramonet

sexta-feira, julho 07, 2006

A velha história

PIB: $1.816.000.000.000 (FR)
vs
PIB: $204.400.000.000 (PT)

Em campo os dois PIB's equivaleram-se. Um atacava mais e o outro, com a sua experiência ia rendilhando o jogo até ter alguma oportunidade para marcar. A determinada altura ela aparece e eis que há falta na área. Grande penalidade e golo.
O PIB: $204.400.000.000 a partir daí assume o controlo do jogo e antes do final da primeira parte um dos seus jovens que vale milhões cai na área. Quebram-se as equivalências, o apito pia mais fino para o PIB mais baixo e toca de continuar a jogar. Depois... não marcámos.

segunda-feira, julho 03, 2006

As imagens que os media portugueses não querem mostrar


Desculpem mas esta hoje fica no início. Obrigado Ordep!

A doença dos títulos


Por falar em Timor, está na altura de os órgãos de comunicação social começarem a preparar outra ida e volta dos seus enviados. Até para se saber o que está lá a fazer a GNR, e que timorenses mandam nela, Xanana ou o governo do país. A não ser que tudo isso seja uma ficção e sejam as autoridades portuguesas a decidir quais os timorenses que têm legitimidade para dar ordens à GNR, ou seja, tomem partido. Então, nesse caso, um governo democrático (o nosso) devia ir à Assembleia explicar as suas opções, e uma oposição a sério devia exigi-las. A não ser assim temos que ler os jornais australianos para saber o papel de Portugal na crise de poder em Timor.
A doença dos títulos: "Timorenses solidários com Xanana". Todos? A maioria? A resposta certa é "alguns" que até podem ser muitos, os que são trazidos "em camiões e autocarros à capital timorense e juntaram-se às cerca de 700 pessoas que passaram a noite diante do Palácio do Governo." Mais do que isto, o jornalista não sabe e provavelmente não pode saber.


Pacheco Pereira no Abrupto

"very close up"

olhando para os close ups do xanana e do alkatiri que saem hoje, frente a frente, no público, percebe-se tudo. o xanana tem ar de bonzinho e o alkatiri de mau. o xanana é amado pelo povo e o alkatiri não. o xanana é um grande herói e o alkatiri sabemos lá. aquilo de a ala do alkatiri ter ganho as eleições para a assembleia constituinte é uma história muito mal contada -- onde é que estão as manifs a favor dele? onde é que anda a mulher dele, que não diz nada? onde é que andam as reportagens australianas a favor dele? onde é que estão os valorosos bispos timorenses a apelar ao respeito pela legalidade democrática e pela paz e pela ordem? hum?
está-se mesmo a ver.


Fernanda Câncio no Glória Fácil

As imagens que os media portugueses não querem mostrar

domingo, julho 02, 2006

Actualidade


Rua do Bonjardim - Porto
Fotografia de Álvaro Mendonça, Ermesinde

Timor

Há alguns anos atrás havia um país que era ocupado por outro e que conseguiu organizar um referendo sobre a sua autodeterminação nas condições mais difíceis. O Povo votou pela sua liberdade e fugiu para as montanhas fugindo às retaliações da tropa ocupante. Anos depois esse país libertou-se e escolheu um Presidente para os representar e um partido e um Primeiro-Ministro para os governar. Ontem esse Presidente, recentemente alvo dos apupos de quem o elegeu, deixou entrar outra força ocupante e designou alguém de sua confiança(*) para o governar.

(*) Talvez seja um pouco exagerado dizer-se que Ramos Horta possa ser "de confiança" de alguém.

a ler: Porque a Austrália quer uma mudança de regime em Timor Leste?

Confrontos Argentina-Alemanha

Tal como no Portugal-França de 2000, no Argentina-Alemanha houve tumultos entre os jogadores após o final do jogo. Tal como então, para a FIFA, apenas os jogadores argentinos parecem ter sido culpados.

A Luta de Classes

Alemanha
Área: 349,223 Km2
Nº de Habitantes: 82,422,299
PIB: $2.504.000.000.000
PIB/per capita: $30,400

França
Área: 545,630 Km2
Nº de Habitantes: 60,876,136
PIB: $1.816.000.000.000
PIB/per capita: $29,900

Itália
Área: 294,020 Km2
Nº de Habitantes: 58,133,509
PIB: $1.698.000.000.000
PIB/per capita: $29,200

Portugal
Área: 91,951 Km2
Nº de Habitantes: 10,605,870
PIB: $204.400.000.000
PIB/per capita: $19,300

Fonte CIA.GOV

The Man of the Match

No jogo Portugal-Inglaterra a FIFA "escolheu" como "homem do jogo" o único inglês que conseguiu marcar o seu penalty, Owen HARGREAVES, jogador do Bayern Munich (podem-se ver aqui os argumentos). Como tudo na FIFA se vende, este prémio tem o nome do patriocínio Budweiser Man of the Match. A marca de cerveja americana lá impôs à FIFA esta ridícula nomeação em confronto com o luxo das defesas de Ricardo, o poder nas alturas de Meira ou Ricardo Carvalho, ou as acelarações do melhor Ronaldo do Mundial. Aliás já Fonseca (MEX) tinha sido o eleito no Portugal-México (2-1) ou Keller (EUA) no EUA-Itália (1-1). A premiação tem vindo a ser de acordo com a implantação da cerveja em cada um dos países.

sábado, julho 01, 2006

A(meia)final...

...é a França.

As faltas

Tal como com a Holanda, Portugal, fez 10 faltas contra as 21 da Inglaterra!

Agora que venha o Brasil...

... com o qual nunca perdemos em fases finais do Mundial.

Brasil-França

Quem quer ver o jogo Brasil-França pode ir a este link e descarregar o ficheiro TVUPlayer.zip. Após a instalação é escolher os canais ESPN2, ESPN Sport ou CCTV-5. Depois é esperar que a velocidade de ligação seja a contratada.