sábado, setembro 29, 2007

Nada de novo debaixo do sol

Alguém tem dúvida que Sócrates, dentro do PSD, angaria mais votos do que qualquer militante laranja? Alguém tem dúvida que, em Portugal, os grandes interesses estão com Sócrates, Lello (José), Vara (Armando) e Canas (Vitalino)?
É certo que Menezes, também tem nas suas fileiras dois monstros dos interesses instalados: Correia (Ângelo) e Cruz (Martins da), e o último até é estrela de Hollywood!
Diria que os dois partidos estão bem entregues, nada de novo debaixo do sol.

Cuidado, tenham muito cuidado...

Comentários online

Por agora regressemos ao modelo de blogue com comentários, embora esteja activada a moderação. Os comentários insultuosos ou com referências caluniosas a pessoas intervenientes nas eleições para a Ordem dos Arquitectos, foram removidos. Nos próximos tempos não sei se terei muito tempo para a dita "moderação", por isso os comentários talvez demorem algum tempo a ficar online. Relativamente ao critério da moderação, é meu e só meu.
O que se pode adiantar é que a moderação não dependerá da opinião, mas dos termos e da redacção.

quinta-feira, setembro 27, 2007

O video do momento


"O país está doido!" - disse Santana Lopes.

Intermitentes e Precários



Através do Arrastão segui a notícia dos Prémios Gazeta 2006 e em especial do discurso do Prémio Revelação João Pacheco (na foto 2º a contar da esquerda). O João Pacheco, perante todos, não alinhou pelos discursos de agradecimento e de paródias e tocou na ferida. Aqui fica a cópia do seu discurso:

Lisboa, Ruínas do Convento do Carmo, 25 de Setembro de 2007
Obrigado.
Obrigado à minha família. Obrigado aos jornalistas Alexandra Lucas Coelho, David Lopes Ramos, Dulce Neto e Rosa Ruela.
Obrigado a quem já conhece “O almoço ilegal está na mesa”, “A caça à pedra maneirinha” e “Guardadores de sementes”.
Parabéns aos repórteres fotográficos Nuno Ferreira Santos e Rui Gaudêncio, co-autores das três reportagens, com quem vou partilhar o prémio monetário.
Parabéns também ao Jacinto Godinho, ao Manuel António Pina e à Mais Alentejo, que me deixam ainda mais orgulhoso por estar aqui hoje.
Como trabalhador precário que sou, deu-me um gozo especial receber o prémio Gazeta Revelação 2006, do Clube dos Jornalistas.
A minha parte do dinheiro servirá para pagar dívidas à Segurança Social. Parece-me que é um fim nobre.
Não sei se é costume dedicar-se este tipo de prémios a alguém, mas vou dedicá-lo.
A todos os jornalistas precários.
Passado um ano da publicação destas reportagens, após quase três anos de trabalho como jornalista, continuo a não ter qualquer contrato.
Não tenho rendimento fixo, nem direito a férias, nem protecção na doença nem quaisquer direitos caso venha a ter filhos.
Se a minha situação fosse uma excepção, não seria grave. Mas como é generalizada - no jornalismo e em quase todas as áreas profissionais - o que está em causa é a democracia.
E no caso específico do jornalismo, está em risco a liberdade de imprensa.
Obrigado,
João Pacheco


[link]

terça-feira, setembro 25, 2007

sábado, setembro 22, 2007

Boas Notícias, embora o título não corresponda ao conteúdo



[via Troll Urbano]

Eleições na Ordem dos Arquitectos XVI

Por fazer parte de um orgão directivo da Ordem dos Arquitectos, por ser um dos seus poucos dirigentes que não é candidato nem apoiante de nenhuma das listas, por se viver um clima de grande indefinição e por haver um enorme nervosismo entre as diferentes listas que não favorece o normal funcionamento da instituição e o sereno esclarecimento necessário numa época eleitoral, entendo que não estão reunidas as condições mínimas para poder exercer a minha actividade crítica perante as propostas e considerações de cada uma das listas - como até agora tenho vindo a fazer.
Neste sentido, e até que a situação esteja mais serena e clara, apenas darei conta de uma ou outra informação/esclarecimento que entenda útil registar.

sexta-feira, setembro 21, 2007

Comentários

Alguém sem muito trabalho e que possivelmente jogará o seu futuro profissional nas eleições para a Ordem dos Arquitectos, tem vindo ao longo dos últimos dias a espalhar, sob anonimato, mentiras e boatos sobre mim e sobre outros colegas e que desempenham funções nos actuais corpos directivos da Ordem dos Arquitectos.
A péssima escrita, o anti-comunismo primário e o ódio revelado, são preocupantes, contudo, o que não posso tolerar, são os comentários que incidem directamente sobre a minha família ou amigos. Por isso decidi que, até ver, os comentários directos neste blogue ficarão indisponíveis, solicitando a todos os que o quiserem comentar e divergir que o façam para o meu email.

Eleições na Ordem dos Arquitectos XV

Ainda hoje poderá haver mais novidades. Reservo uma tomada de posição para amanhã, ou para quando a situação estiver mais clara.
Para já esclareço que não sou proponente nem apoiante, de nenhuma das candidaturas ao Conselho Directivo Nacional.

"Eleições para a Ordem dos Arquitectos correm o risco de ser impugnadas"

Comissão eleitoral ignora parecer jurídico e recusa candidatura do actual presidente, Manuel Vicente

As eleições para presidente da Ordem dos Arquitectos, marcadas para o dia 18 de Outubro, podem vir a ser impugnadas pela candidatura liderada pelo actual presidente, Manuel Vicente.
Ao que o PÚBLICO apurou, a comissão eleitoral da Ordem, liderada por Carlos Guimarães, que é também presidente da mesa da assembleia geral, decidiu não aceitar a candidatura de Manuel Vicente, alegando que os estatutos determinam que, "nos cargos do conselho directivo nacional e nos conselhos directivos regionais, não é permitida a reeleição para um terceiro mandato consecutivo nem nos três anos subsequentes ao termo do segundo mandato consecutivo".
Ignorando um parecer jurídico que a própria Ordem solicitou ao advogado Sérvulo Correia e que não vê nenhum inconveniente em que Manuel Vicente se candidate, Carlos Guimarães argumentou que o candidato pertence há dois mandatos ao conselho directivo nacional da Ordem, estando, assim, impedido de candidatar-se. Para que a candidatura fosse aceite, Vicente teria de renunciar, sendo substituído por outra pessoa.
Rejeitando os argumentos da comissão eleitoral, o arquitecto declara que esta é a primeira vez que se candidata à presidência da OA, um cargo que, refira-se, assumiu recentemente em substituição de Helena Roseta, que renunciou para assumir o lugar de vereadora na Câmara de Lisboa.
Em declarações ontem ao PÚBLICO, Vicente aponta o dedo ao presidente da comissão eleitoral, acusando-o de ter dois pesos e duas medidas, numa alusão ao facto de Carlos Guimarães ter acolhido o parecer de Sérvulo Correia relativamente à acumulação de cargos em estabelecimentos de ensino, uma questão que, segundo disse, se coloca em relação às candidaturas dos arquitectos Luís Conceição e de João Belo Rodeia. Segundo os estatutos, "não podem ser candidatos a titular de qualquer órgão da Ordem os titulares de órgão directivo de qualquer estabelecimento de ensino público, particular ou cooperativo que ministre cursos de Arquitectura, qualquer que seja a natureza", mas Sérvulo Correia entende que os titulares naquelas condições podem candidatar-se, desde que, no acto da tomada de posse, renunciem aos cargos directivos.
A decisão da comissão eleitoral não foi unânime, tendo votado contra os delegados das candidaturas de Manuel Vicente e de Luís Conceição.O delegado da candidatura de João Belo Rodeia absteve-se.
O arquitecto João Afonso, do conselho directivo da OA, confirmou esta decisão, mas negou ter afirmado que o presidente daquela comissão é um dos subscritores da candidatura de Rodeia. "Não faço ideia de quem são os subscritores das candidaturas", disse. Na noite de ontem, realizou-se uma nova reunião entre a candidatura de Manuel Vicente e a comissão eleitoral, considerada fundamental para o desfecho deste caso, que pode vir a acabar no tribunal.


Público de 21.09.2007, Margarida Gomes

quinta-feira, setembro 20, 2007

Eleições na Ordem dos Arquitectos XIV

A tentativa de eliminação da candidatura de Manuel Vicente é uma vergonha. Tentarei escrever sobre isso durante o fim de semana, depois de ter a acta da reunião da comissão eleitoral.

terça-feira, setembro 18, 2007

Sarkozy invites top architects to help shape presidential legacy

[link para a notícia do The Guardian]

Sarkozy convidou uma série de ilustres arquitectos para construirem a sua marca na "França Contemporânea" - os arquitectos do regime.

domingo, setembro 16, 2007

Aprender sempre

Para quem sente a angústia de estar num canto envolto numa realidade de capelas e para quem anseia estar a par do que se vai falando e dizendo pelo mundo, no que à cultura e arquitectura dizem respeito, o fim de semana raramente nos desilude com o suplemento do El Pais: "Babelia".
Lembro de "ter sido iniciado" pelo amigo Fernando, na altura professor, que todas as 2ªs Feiras de manhã, para estimular a pontualidade dos alunos, fazia 30 minutos de consulta e discussão sobre o que se tinha escrito de arquitectura nos últimos dias. Raramente havia qualquer coisa dos media portugueses, normalmente encerrados em discursos laudatórios.

Eleições na Ordem dos Arquitectos XIII [ACTUALIZAÇÃO]

As eleições, na blogosfera, estão fraquinhas. Das candidaturas só encontro:
MANUEL VICENTE na OA, com um grande fulgor inicial... dúvidas... e anúncio de candidatura.
Todos pela Arquitectura, da candidatura de JOÃO BELO RODEIA, sem comentários e com 2 posts genéricos, o mais recente há mês e meio...

[talvez possa ser o reflexo da escassa ausência de participação de jovens arquitectos nas listas, mas disso falarei mais tarde]

Contudo, há sempre uma excepção. Qual Asterix e a sua aldeia, há um pequeno foco de resistência e irreverência a Norte, que tem mantido um blogue activo e que no mesmo dia da entrega das listas revela quem é que se candidata: NA ORDEM.
Têm, como é óbvio, um merecido destaque até porque a lista que se apresenta sem nomes sonantes para além do seu mandatário, revela uma juventude e uma força que gostaria que também existisse a Sul.


Por fim lá encontrei outra candidatura, a primeira com site e com investimento em designer gráfico: OASRS MARCA. Promete uma Secção Regional Sul com "melhores serviços, mais apoio à prática e acesso ao mercado de trabalho". Mas quem será? Um avião? Uma ave? Não... São os que lá estão agora. Da Trienal, nem uma palavra!

Eleições na Ordem dos Arquitectos XII

Manuel Vicente, afinal, sempre apresentou a sua candidatura, vindo baralhar a tese do vencedor antecipado do Lourenço.
Para além de vir confundir o resultado final, vamos ver se alguém levanta a questão estatutária e tenta impedir a sua candidatura. Se assim for, a candidatura, poder-se-á transformar num "monstro" ainda com mais força.

A Cidade das Pessoas

Conheço o Pedro Homem Gouveia há alguns anos, desde os tempos de Faculdade. Entretanto, no primeiro mandato em que estive nos orgãos sociais da Ordem, ele foi meu colega de direcção no Conselho Directivo Nacional. Passado três anos candidatou-se ao Conselho Directivo Regional Sul, do qual se demitiu, denunciando publicamente uma série de situações, entre as quais a insuficiente prestação de serviços aos associados e a ausência de tomadas de posição pública contra aquilo que se passava na Lisboa de Carmona ou em Cascais, em virtude de serem parceiros do evento Trienal.
A estas declarações, feitas em Assembleia Regional e mais tarde substanciadas no seu pedido de demissão, os orgãos dirigentes da Ordem assobiaram para o lado, mas eu não me esqueci dessa intervenção corajosa, no meio de tantos comissários e beneficiários da Trienal.
Há alguns dias soube que seria candidato pela lista do Manuel Vicente e fez o favor de passar aqui pelo estaminé para dar conhecimento do seu blogue. Aqui fica o destaque para o: A Cidade das Pessoas.

Conceição, Rodeia e Vicente candidatam-se à Ordem dos Arquitectos

Termina ao final da tarde de hoje o período de entrega de candidaturas à presidência da Ordem dos Arquitectos, e ao que o Construir apurou, Luís Conceição, João Belo Rodeia e Manuel Vicente são os candidatos.
Tendo como lema “Por uma ordem de valores”, Luís Conceição revelou ao Construir que a sua candidatura pretende ser “prepositiva”, sublinhando que “não queremos ser contra nada, queremos propor coisas novas”. A dignificação da actividade do arquitecto, estabelecer acordos com universidades europeias e criar colégios de especialidade são algumas das propostas deste candidato.
Em declarações ao Construir, Manuel Vicente, que assumiu a presidência temporária da Ordem aquando da eleição de Helena Roseta para vereadora da câmara de Lisboa, revelou que a sua candidatura “não é de continuidade” com o trabalho feito por Helena Roseta. O arquitecto revelou a vontade de aproximar a Ordem do território nacional, nomeadamente à população e à sociedade civil, não esquecendo as relações fronteiriças.
Manuel Vicente criticou ainda a promoção, por parte da Ordem, de determinadas figuras da arquitectura, revelando que num universo de cerca de 16 mil profissionais não faz sentido promover cerca de 15.
O Construir também contactou o candidato João Rodeia que não quis avançar, nesta altura, com as linhas do programa que irá apresentar aos arquitectos.
Depois das candidaturas entregues o próximo passo é aguardar pelos resultados, que serão conhecidos a 18 de Outubro, dia das eleições. O candidato vencedor assumirá a presidência da Ordem até ao dia 13 de Novembro.

Filipe Gil
Director

[via "Construir"]

sexta-feira, setembro 14, 2007

Eleições na Ordem dos Arquitectos XI

Grandes dúvidas para serem esclarecidas hoje, com a entrega das listas:

CDN
- Manuel Vicente, vai ou não candidatar-se a Presidente da Ordem? Se sim, que esclareça com que base legal.
- João Belo Rodeia, avançará com candidatura a Sul e a Norte ou assumir-se-á só para os orgãos nacionais?
- Luís Conceição, quem integrará a lista?

SRS
- Haverá uma lista conjunta alternativa ao projecto da actual direcção?
- A actual direcção apresentará alguma novidade?

SRN
- A actual direcção candidatar-se-á?
- Quem são "os outros"?

Associados
Irão votar para "Mudar a Ordem das Coisas"?
Esta fica para o dia das eleições...

Eleições na Ordem dos Arquitectos X

O actual Conselho Directivo da Secção Regional Sul, à beira das eleições e de se candidatar a um novo mandato, divulga no seu site a seguinte nota.
Por razões institucionais, e pelo facto do Conselho Directivo Nacional reunir no próximo Sábado, não vou para já emitir qualquer juízo, embora estranhe que não se perceba a data em que começaram a surgir as demissões nem se consiga subentender os motivos.

quinta-feira, setembro 13, 2007

Scolari

Desconheço qual o vínculo contratual entre Scolari e a Federação Portuguesa de Futebol. Contudo, a FPF é um organismo público e não tenho muitas dúvidas que deveria instaurar um processo disciplinar ao seu funcionário ou prestador de serviços.

quarta-feira, setembro 12, 2007

Eleições na Ordem dos Arquitectos IX

Para a Secção Regional Sul, não há muito que saber.
Ao que me constou haverá duas listas. Uma da actual direcção, que lhe chamarei "trienalistas" e a "outra". Os "trienalistas" terão o voto "militante" de comissários, jurados e outros beneficiários da trienal, ou seja, um eleitorado seguro de 80/100 arquitectos mais alguns deslumbrados ou aspirantes. A dúvida está nos outros 15000 arquitectos, o que farão?

Eleições na Ordem dos Arquitectos VIII

Desconhecendo as listas que se irão apresentar ao orgãos nacionais da Ordem dos Arquitectos, aguardo com especial interesse a composição dos diferentes Conselhos Fiscais. Não nos podemos esquecer, que as contas da Trienal, serão fiscalizadas pelo futuro Conselho Fiscal.

Eleições na Ordem dos Arquitectos VII

Artigo 10.º | Regras Gerais
2 - Nos cargos do conselho directivo nacional e nos conselhos directivos regionais não é permitida a reeleição para um terceiro mandato consecutivo nem nos três anos subsequentes ao termo do segundo mandato consecutivo.


Perante as anunciadas 3 candidaturas ao Conselho Directivo Nacional (Manuel Vicente, João Belo Rodeia e Luís Conceição) este ponto dos Estatutos da Organização à qual se candidatam deverá abrir as hostilidades.
Há duas interpretações de mais um ponto manifestamente mal escrito pelo legislador:

1. Quem está num cargo nos orgãos em causa, não poderá mantê-lo por dois mandatos, ou seja, por exemplo Helena Roseta poder-se-ia candidatar ao Conselho Directivo Nacional enquanto Vice-Presidente, Tesoureira, Secretária ou Vogal daquele orgão.

2. A interpretação que tem sido prática corrente, é a de se entender "cargo" como "orgão", ou seja, seguindo o mesmo exemplo, Helena Roseta não se poderia candidatar ao orgão a que presidiu.

Na minha óptica, o sentido deste artigo, teoricamente para evitar situações em que há associados que se perpetuam no poder, não cumpre minimamente os objectivos a que se propõe, dando uma no cravo outra na ferradura.
Pessoalmente, até defenderia algo mais restritivo, na óptica de não se poder andar a saltar de orgão em orgão ficando sempre com um pé dentro da Ordem. Para mim faria sentido um articulado que inviabilizasse a candidatura de alguém que esteve num orgão nacional a todos os orgãos nacionais, ou seja, repescando o exemplo Helena Roseta, tornando incompatível a sua eleição a qualquer orgão nacional da Ordem.
Como se pode constatar há duas candidaturas de arquitectos que fizeram parte do Conselho Directivo Nacional - Manuel Vicente, vice-presidente e João Belo Rodeia como Presidente do Conselho Nacional de Delegados, parecendo então que apenas resta Luís Conceição como candidato elegível ao abrigo do Estatuto.
Mas não, Luís Conceição, é director de um curso de arquitectura (ver aqui) o que também contraria o disposto no Ponto 2. do Art. 11 do Estatuto (2 - Para além das situações de incompatibilidades legais, não podem ser candidatos a titular de qualquer órgão da Ordem os titulares de órgão directivo de qualquer estabelecimento de ensino público, particular ou cooperativo que ministre cursos de arquitectura, qualquer que seja a sua natureza.)

Ora o cenário, para quem acha que os Estatutos da OA são miseráveis, até poderia parecer interessante. Todos os candidatos a Presidente da Ordem, conscientemente, desrespeitam o sentido que o legislador queria atribuir ao articulado do Estatuto. Só é de lamentar que o façam em artigos com os quais até concordo...

segunda-feira, setembro 10, 2007

Chile e o jcd

Alegram-se as comadres, com o rigor trauliteiro do jcd nos seus dez mandamentos sobre o comunismo. Indignam-se e arrepiam-se por ainda existirem comunistas, por fazerem a festa do avante e por serem tantos. Apresentam verdades universais e manifestam o seu desprezo por "essa gentalha" ignorante e sem conhecimentos de economia.
Em jeito de resposta, de certo pouco esclarecida, deixo um vídeo com um curto apontamento de um dos períodos mais belos da vida de um país da América Latina: o Chile. O vídeo, também serve para evocar a triste data de amanhã, trinta e quatro anos após um golpe militar (encabeçado por alguém que pensava como o "jcd"), depôr o Governo popular e democraticamente eleito de Salvador Allende, instalando no poder uma das mais violentas e sanguinárias ditaduras da história do Séc. XX.

Comunismos e facções

jcd, mais uma vez, surpreende-me com o seu rigor científico, abrilhantando a blogosfera com um post para "alguns comunistas de várias facções".
O "várias" sou eu e o "facções" é o Daniel Oliveira.
Já respondo, porque agora tenho de trabalhar...

domingo, setembro 09, 2007

PSD v. 02

Luís Filipe Menezes tem como mandatário nacional um ser insuspeito que de acordo com o seu site, actualmente, acumula os seguintes cargos:
* Presidente do C.A. da Lusitaniagás-Compª do Gás do Centro, S.A.
* Presidente do C.A. da TEJO-Ambiente, S.A.
* Presidente da Comissão Executiva da Fomentinvest SGPS, S.A.
* Administrador da Fundação Ilidio Pinho
* Administrador da Compª de Seguros Global e Global Vida, S.A.
* Administrador da Ecoambiente
* Administrador da EcoProgresso
* Administrador da Compª Portuguesa de Higiene, S.A. (PHARMA)
* Consultor da Philips Portuguesa, S.A.
* Presidente da Assembleia Geral da Ferpinta SPPS
* Membro do Conselho Consultivo da Roland, Berger & Partner, Lda.
* Membro do Conselho Consultivo da DVH-FBO (Portugal)
* Presidente da Direcção da Câmara de Comércio e Industria Árabe Portuguesa
* Consul Honorário do Reino Hachemita da Jordânia em Portugal

Menezes promete falar com Ângelo Correia, pelo menos uma vez, até 2009, quando o excelso mandatário estiver a comentar política na SIC.

PSD v.01

Luís Marques Mendes foi ao Porto escolher quem lhe faz a campanha para as directas do PSD. Os mesmos que fizeram o site do Boavista e prepararam a candidatura de Rui Rio: imaginew.
Consta que já saberão a quem passar a factura.

imagem retirada do site imaginew

O que lhe faz falta:



Ao jcd do Blasfémias, que compara a Revolução Bolchevique de 1917 com a "peste negra, o holocausto, o último tsunami ou a SIDA", gostaria de dedicar este vídeo (realizado para uma campanha de incentivo à leitura no Brasil) ao qual cheguei via Troll Urbano.

sábado, setembro 08, 2007

Sobre o Caso Maddie

Novidades para breve ou calar-se-ão para todo o sempre...
[Acrescento que o Vaticano já tirou qualquer referência ao caso do seu site]

sexta-feira, setembro 07, 2007

Eleições na Ordem dos Arquitectos VI

Já há uma lista candidata à Secção Regional Norte que tem um blog. Para já é o único blog/site de que tenho conhecimento.

[Na Ordem :: SRN]

segunda-feira, setembro 03, 2007

Ainda o "Caso de Silves"

Este é um daqueles texto que tenho lido e relido com prazer:

# Paulo Varela Gomes escreveu:
Agosto 21, 2007 às 4:22

A reacção - histérica - ao caso de Silves e ao post do Miguel é um caso dos mais interessantes acontecidos em Portugal de há muito tempo para cá. Neste país de cobardolas, qualquer gesto decidido assume de imediato foros de escândalo. Neste país que enterrou uma revolução debaixo de um manto de mentiras, silêncios e cumplicidades traidoras, qualquer recordação - por mais ténue - daquilo que se passou em 1974-75 cheira a ameaça insuportável. Neste país onde os poderosos violam a lei todos os dias, onde a polícia e os tribunais servem sobretudo para ajudar os poderosos a não cumprir a lei, onde a lentidão e ineficácia dos tribunais criam um estado de não-direito, ninguém se lembra de exigir que seja aplicada toda a força da lei (de imediato! rigorosamente!) quando os salários não são pagos, os patrões fogem aos impostos, as empresas e os bancos defraudam os cidadãos. Mas ai de quem puser o pé num centímetro quadrado da sacrossanta propriedade privada agrária, esse símbolo por excelência da Ordem multi-secular.
Que extraordinário país! Um povo todos os dias enganado, roubado, o mais pobre da Europa, o mais ridículo. E nem um carro incendiado, nem uma montra partida, nem um protesto violento. Dóceis como carneiros, que é naquilo que foram treinados, é aquilo que são - envergonham-me vocês, oh ordeiros de dedinho sentencioso no ar e voz tremeluzende de indignação só porque meia dúzia de miúdos resolveram violar a lei. Pode não ter sido correcto o que os miúdos fizeram, mas mostraram mais coragem que vocês todos juntos. Respeitem ao menos isso: que ainda haja portugueses capazes de arriscar alguma coisa por aquilo em que acreditam. Respeitem ao menos quem é capaz de um gesto.


[comentário a post do blogue Sem Muros]

sábado, setembro 01, 2007

Ainda sobre as FARC

Ler "O burburinho sobre as FARC", no excelente As Vinhas da Ira

Faz-me Festas mais Avante

Indigna-se a pobre direita de "opinion makers", que depois de ter conseguído crucificar o Gualter Baptista, não consigam que o PCP deixe de convidar o Partido Comunista da Colômbia, associando-o às FARC-EC, para a Festa do Avante.
Pode-se ver aqui, aqui, aqui, aqui e mais destacadamente aqui.
O meu homónimo Barbosa Ribeiro, até faz disso enorme destaque e um dos sempre moderados neoliberais insurgentes chama-lhe a "Festa dos Assassinos".
Era fácil comparar o número de mortos, sequestrados e homicídios voluntários das FARC com os perpetrados pelos EUA ou pelos "aliados" (ler P. Lumumba), ou reafirmar a independência política do PCP nas suas escolhas. Mas não perco mais tempo.
No próximo fim de semana lá estaremos!

Socialismo 2007?

O Bloco de Esquerda organiza este fim-de-semana o encontro "Socialismo 2007". Para além de, na sua generalidade, ir ter intervenções interessantes parece-me que a "nova vida" deste Bloco já não passa por aí.
A retirada de Gualter Baptista do painel de oradores (ver mais aqui ou aqui) e a ausência de qualquer referência aos problemas da cidade contemporânea ou qualquer coisa que possa tocar o "santíssimo acordo" para o Governo de Lisboa revelam o carácter lúdico do evento.
Gualter Baptista, é entendido pelos dirigentes do Bloco como uma "ovelha negra" de um partido que se pretende assumir como uma voz crítica dentro do poder neoliberal - a palavra socialismo, seguindo uma velha tradição, passa a ser alegórica para vir no final do cortejo.
Depois da entrevista de Louçã a Mário Crespo, ser revolucionário e socialista, é não ter vergonha em assumir: eu conheço o Gualter!